imagem15-09-2020-15-09-46

Hospital Sírio-Libanês disponibiliza médicos de diversas especialidades para realizar os atendimentos

 

JURANA LOPES

 

Por meio de uma parceria entre a Secretaria de Saúde e o Regula Mais Brasil, do Ministério da Saúde (MS), vários pacientes da rede estão sendo acompanhados pelos médicos do Hospital Sírio-Libanês. Isso só é possível graças a uma proposta aditiva de parceria entre o MS e o Hospital Sírio-Libanês, para apoio na realização de teleconsultas aos pacientes ambulatoriais. A união é uma tentativa de minimizar os danos secundários causados pela pandemia de Covid-19.

 

imagem15-09-2020-15-09-48

Teleconsultas contribuem para proteger a população da exposição à Covid-19 – Foto: Divulgação/SES-DF

“O aumento observado do absenteísmo, as ausências dos usuários às consultas tornam o grupo de pacientes com doenças crônicas não transmissíveis a grande preocupação no seguimento dos tratamentos, principalmente na fase pós-pandemia, pois doenças como hipertensão arterial, diabetes mellitus, obesidade, dentre outras, podem se agravar sem o devido acompanhamento”, explica Eliene Ferreira, coordenadora de Atenção Secundária e Integração de Serviços (Coasis).

 

As teleconsultas ofertadas estão contribuindo para proteger a população da exposição ao coronavírus, bem como deixar os usuários do sistema de saúde seguros para seguirem seus tratamentos e manterem-se saudáveis, além de proteger os profissionais da saúde. Então, o Hospital Sírio-Libanês iniciou um projeto interno de consulta on-line, que já começou em alguns estados como Pernambuco, Amazonas, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal.

 

“Aqui no DF as consultas começaram com uma fase de teste, no dia 24 de agosto e, a partir da semana seguinte, se expandiu. Até o momento, só ocorreram teleconsultas de Neurologia, Cardiologia e Endocrinologia, mas também estão disponíveis nas especialidades de Ortopedia, Cirurgia Vascular e Neurologia Pediátrica”, explica a assessora técnica da Coasis, Nycole Filincowsky Xavier.

 

São atendidos todos os pacientes em que os quadros clínicos sejam elegíveis para o atendimento virtual, seguindo os protocolos de classificação da Secretaria de Saúde e do Ministério da Saúde.

 

Encaminhamento

 

Para conseguir a consulta on-line, o usuário deve procurar sua unidade básica de saúde de referência, realizar uma consulta pelo médico da família da unidade, que irá avaliar a necessidade de acompanhamento com um especialista. Havendo a necessidade, o paciente será encaminhado para a Atenção Secundária.

 

A partir dessa necessidade, o médico de família vai inseri-lo no sistema de regulação como um todo. É necessário descrever todo o quadro clínico, com as patologias e CIDs das doenças. Além de verificar com o paciente se ele tem interesse em uma teleconsulta, caso a resposta seja negativa, ele é agendado para consulta presencial.

 

O atendimento via teleconsulta poderá ser ofertado para as seguintes especialidades:

✓ Ortopedia (geral); ✓ Cardiologia; ✓ Endocrinologia; ✓ Neurologia; ✓ Neurologia pediátrica; ✓ Cirurgia vascular (geral).

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here