imagem09-09-2020-01-09-21Iniciativa visa estimular a visitação e atender a uma demanda antiga dos visitantes | Foto: Jardim Botânico

As trilhas do Jardim Botânico de Brasília (JBB) agora estão sinalizadas. Os banners com detalhes dos percursos que somam mais de 25 quilômetros trazem informações sobre distância, tipo de vegetação, grau de dificuldade, acessibilidade e atividade a que se destina (caminhada ou ciclismo).

Além disso será possível acessar os mapas por meio de QR CODE, que facilitará a localização do início e do fim dos trajetos. As placas foram instaladas, nesta terça-feira (8), como parte das comemorações do Dia do Cerrado, em ato que contou com a presença do secretário de Meio Ambiente, José Sarney Filho, e da diretora-executiva do JBB, Aline De Pieri.

“Manter o bioma preservado é uma obrigação e, quanto mais o conhecemos, mais temos vontade de preservar a fauna, a flora e todos os serviços ambientais que ele presta”Sarney Filho, secretário de Meio Ambiente

A iniciativa visa estimular a visitação e atender a uma demanda antiga dos visitantes, que ficou ainda mais evidente durante a pandemia. Para a diretora-executiva do JBB, as novas sinalizações vão incentivar a prática esportiva ao ar livre e dar mais segurança aos usuários.

“Sabemos que o contato com a natureza faz muito bem à saúde, ainda mais em momentos como esse que estamos vivendo. E nada melhor do que fazer a entrega desse material durante a Semana do Cerrado. Acreditamos que quanto mais as pessoas têm contato com o meio ambiente, mais elas entendem a importância da preservação”, defendeu Aline De Pieri.

Tecnologia e natureza

A equipe do JBB mapeou seis trilhas na área de visitação. A mais curta tem 345 metros e mais longa 12 quilômetros (veja os detalhes ao final da matéria). Os banners estarão fixados na entrada de cada uma delas e, antes de iniciar a caminhada ou o pedal, o visitante poderá acessar, por meio do celular, o mapa de todo o trajeto diretamente no Google Maps.

“Pensamos em facilitar a atividade, unindo tecnologia e natureza. Estamos tão familiarizados com esses equipamentos… Por isso, nada melhor do que conhecer mais sobre o Cerrado usando o celular e a internet”, reforçou Aline De Pieri.

“Uma sinalização adequada permite que a pessoa na trilha se sinta mais segura, principalmente quanto à orientação, continuidade, condições de ambiente e tempo”, acrescentou a gestora.

imagem09-09-2020-01-09-25Regras de distanciamento social em tempos de pandemia são seguidas rigorosamente no JBB | Foto: Jardim Botânico

Sarney Filho esteve durante a manhã desta terça-feira (8) no JBB para ver os banner e percorrer a Trilha Krahô, que é palco de uma das atividades propostas pela unidade para a comemoração do Dia do Cerrado. “Acredito que estamos começando as comemorações da Semana do Cerrado com o pé direito. Fizemos uma trilha inovadora e bem didática. Manter o bioma preservado é uma obrigação e, quanto mais conhecemos, mais temos vontade de preservar a fauna, a flora e todos os serviços ambientais que ele presta”, destacou o secretário de Meio Ambiente.

Espaços de leitura

As trilhas são espaços de leitura da paisagem para construção de valores e tomada de atitudes em relação à natureza. O principal objetivo da interpretação dos espaços em jardins botânicos, segundo o Manual Técnico Darwin para Jardins Botânicos, é estimular o visitante a conhecer e respeitar as plantas, conscientizando-o a respeito de sua importância para o equilíbrio ecológico e o bem-estar social.

Leia também

imagem09-09-2020-01-09-29

Jardim Botânico completa 16 anos como RA e faz festa solidária

imagem09-09-2020-01-09-30

Comercial do Jardim Botânico ganha mais 240 vagas de carro

Temporariamente fechados em razão da pandemia de Covid-19, os banheiros e bebedouros do Jardim Botânico já estão novamente em funcionamento, conforme o Decreto 41.170. O uso de máscaras é obrigatório nas dependências do JBB e as regras de distanciamento social devem ser seguidas rigorosamente.

Veja abaixo mais detalhes sobre as trilhas:

Tamanduá-bandeira: são 12 quilômetros adequados para ciclismo e caminhada. O percurso se inicia em meio à vegetação de Cerrado densa e outras fitofisionomias farão companhia aos visitantes, como campos sujos, cerrados mais ralos e mata de galeria do contorno do Córrego Cabeça de Veado. Essa trilha percorre as bordas da área de visitação e apresenta toda a riqueza e diversidade do JBB.

imagem09-09-2020-01-09-31

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tamanduá-mirim: são 4,25 quilômetros para ciclismo e caminhada. O início e o fim se dão no Centro de Visitantes. E a trilha passa por estradas de terra e pista asfaltada, percorrendo diferentes paisagens e terrenos.

imagem09-09-2020-01-09-33

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Trilha Mater: são 4,53 quilômetros para ciclismo e caminhada. Esta é a primeira trilha do JBB. É toda asfaltada e com acessibilidade. Também cobre diferentes vegetações, com destaque à diversidade de árvores típicas do Cerrado. O trajeto conta com identificação botânica e proporciona uma visitação autoguiada.

imagem09-09-2020-01-09-34

Horto Medicinal: são apenas 345 metros, apenas para caminhada. A coleção implantada por técnicos do JBB buscou na literatura informações sobre uso terapêutico de espécies do Cerrado. A trilha está inserida em uma densa área de vegetação nativa e conta com 100 espécies medicinais identificadas.

imagem09-09-2020-01-09-37

Trilha Ecológica: são 3,83 quilômetros apenas para caminhada. O percurso passa por diferentes fitofisionomias do Cerrado, como a nascente do Córrego Cabeça de Veado, e é uma das trilhas mais propícias para ver animais como tamanduá-bandeira, tatu e veado.

imagem09-09-2020-01-09-38

Trilha Krahô: são 1,84 quilômetro para uma caminhada leve. Compartilha parte de seu trajeto com a Trilha Ecológica e o percurso é um reconhecimento à importância do povo Krahô, nossa cultura ancestral. Nela, em meio à vegetação nativa, o visitante poderá ver espécies introduzidas por orientação do consultor Feliciano Krahô, contratado pelo projeto para a sua idealização.

imagem09-09-2020-01-09-39

 

* Com informações do Jardim Botânico de Brasília

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here