Vigilância Sanitária foi ao local, no Gama, e encontrou materiais descartáveis sendo reutilizados em consultórios odontológicos

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE DF

 

O trabalho de rotina da Vigilância Sanitária não parou com a pandemia do novo coronavírus. Pelo contrário, se intensificou, pois além das demandas habituais, as equipes se dividem para atender as ações específicas de fiscalização voltadas para o combate da Covid-19.

 

imagem09-09-2020-21-09-00

Fiscais foram até a clínica após o recebimento de denúncias e encontraram várias irregularidades – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Nesta quarta-feira (9), a Vigilância Sanitária fiscalizou, após denúncia, uma clínica que funciona no Setor Sul do Gama. Além de oferecer os serviços de clínica médica, o estabelecimento também oferta serviços odontológicos.

 

“A denúncia que chegou na Vigilância Sanitária foi por aglomeração, mas além desse problema, encontramos diversas irregularidades neste local como: problemas de documentação, falta de registro da empresa de manutenção de ar-condicionado, falta de testes biológicos de autoclavagem na central de esterilização, a seladora estava com defeitos e, para piorar, tudo indica que estavam reutilizando materiais descartáveis como seringas e agulhas”, informa a gerente de Fiscalização, Márcia Olivé.

 

imagem09-09-2020-21-09-02

Materiais limpos estavam misturados a objetos já utilizados – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Falta de higiene

 

O estabelecimento de saúde desrespeitava os protocolos básicos sanitários. Na área de odontologia foram encontrados materiais sujos misturados com os limpos, além de seringas para moldagem em locais totalmente desapropriados, sem a menor higiene e com esterilização incorreta. Na sala de raio X não havia ao menos um cabide para colocar o avental radiológico utilizado pelos pacientes.

 

Por conta das inúmeras irregularidades encontradas, a área odontológica foi interditada e a Vigilância Sanitária deu o prazo de 15 dias para a clínica se readequar. Além disso, o estabelecimento foi autuado por desrespeitar as normas de segurança e de enfrentamento contra a Covid-19 determinadas pelo Decreto do GDF.

 

imagem09-09-2020-21-09-06

O equipamento de raio x foi lacrado quando os fiscais encontraram irregularidades – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

 

“Encontramos pessoas aglomeradas, falta de álcool em gel para os pacientes, deu para perceber que não estão fazendo o agendamento de consultas médicas com o intervalo de 30 a 40 minutos para evitar aglomerações, se não a clínica não estaria lotada desse jeito”, avalia.

 

De acordo com Márcia, o estabelecimento funciona há alguns anos e a situação se torna ainda mais grave por ter sido denunciada e por ter recebido, desde julho, intimação da Vigilância Sanitária para apresentar todos os documentos necessários de funcionamento da clínica.

 

imagem09-09-2020-21-09-08

Pacientes aguardavam atendimento sem distanciamento mínimo recomendado – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

“Demos mais 15 dias de prorrogação desta intimação para que eles apresentem a licença sanitária. O não cumprimento disso e de todas as adequações das irregularidades encontradas acarretará na interdição total do estabelecimento”, reitera Márcia Olivé.

 

imagem09-09-2020-21-09-11

A sala do raio x foi interditada – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

A Vigilância Sanitária continua trabalhando com fiscalizações de rotina, além das voltadas para a pandemia. Quem quiser denunciar qualquer estabelecimento que esteja desrespeitando as normas de segurança contra a Covid-19 previstas no Decreto do GDF ou qualquer norma sanitária pode ligar para o telefone 162.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here