O candidato ao governo do Rio, Eduardo Paes

Eduardo Paes: ex-prefeito perdeu para o governador Wilson Witzel na eleição ao governo do Rio em 2018 (Tomaz Silva/Agência Brasil)

O ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), é alvo de uma denúncia por corrupção, segundo a Globo News. O Ministério Público está na manhã desta terça-feira, 8, em uma operação de busca e apreensão na casa do ex-prefeito.

Paes foi denunciado por corrupção, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, ainda segundo a Globo News.

A denúncia foi oferecida à Justiça Eleitoral pelo Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC), um braço dentro do Ministério Público. Outras quatro pessoas também foram denunciadas.

O juiz responsável por aceitar a denúncia do Ministério Público foi Flávio Itabaiana, o mesmo que cuida do caso da “rachadinha” envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente Jair Bolsonaro.

Paes é um dos principais candidatos à Prefeitura do Rio de Janeiro nas eleições deste ano, em 15 e 29 de novembro.

A convenção do Democratas na semana passada o lançou como candidato oficial, e nas convenções de outros partidos nos próximos dias deve haver a definição de qual será a chapa que apoiará Paes.

O fato de Paes ter sido denunciado ainda não impede sua candidatura pela Lei da Ficha Limpa. Um candidato só fica inelegível após ter sido condenado em 2ª instância.

Mas o caso envolvendo o ex-prefeito hoje pode impactar a decisão dos partidos. O PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro, tinha também chances de compor a chapa de Paes em vez de lançar candidatura própria; uma possibilidade era o partido indicar um vice, segundo o colunista de O Globo, Lauro Jardim.

O atual prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), também disputará a eleição. Sondagem do Paraná Pesquisas publicada em 21 de agosto mostra Paes à frente, com 29% das intenções de voto, ante 15% de Crivella.

O próprio Crivella escapou na semana passada da abertura de um processo de impeachment, que foi negado pela Câmara de Vereadores. O pedido de impeachment aconteceu em meio ao caso dos “Guardiões do Crivella”, em que reportagem da Rede Globo mostrou que a Prefeitura estava usando funcionários comissionados para ir até a porta de hospitais e impedir reportagens negativas sobre a saúde da cidade.

*Mais informações em instantes

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here