Chapecó SC 0107 2020 O maior prejuízo do vendaval desta terça feira (30 06) em Chapecó foi a vida de uma senhora de 78 anos, do bairro Quedas do Palmital. A Administração Municipal lamenta profundamente o falecimento da moradora, vitimada pela queda de árvore durante o temporal. Os mais profundos sentimentos à família e amigos.O Município informa, ainda, que está mobilizado no atendimento aos registros de destelhamento, quedas de galhos, árvores e outros prejuízos materiais ocorridos em função da chuva e vento fortes. A Defesa Civil de SC registrou ventos de até 108 km/h em Chapecó. Até o momento, não há informações de família desalojada ou desabrigada.Estão nas ruas as equipes da Secretaria de Defesa do Cidadão e Mobilidade (SEDEMOB), por meio da Defesa Civil, Guarda Municipal e Agentes de Trânsito, Secretaria de Infraestrutura Urbana (SEINFRA) e Superintendência da Efapi.Secretaria de Defesa do Cidadão e Mobilidade (SEDEMOB) recebeu, via Defesa Civil, 350 registros de destalhamentos, quedas de árvores e galhos. Agentes de Trânsito e Guardas Municipais estão nas vias para orientar o tráfego e isolar as áreas atingidas. Até o momento, 13.400 m2 de lona foram distribuídos à população afetada. Hoje à tarde, 214 moradores retiraram lona na SEDEMOB.Secom Chapecó/O maior prejuízo do vendaval desta terça feira (30 06) em Chapecó foi a vida de uma senhora de 78 anos, do bairro Quedas do Palmital. A Administração Municipal lamenta profundamente o falecimento da moradora, vitimada pela queda de árvore durante o temporal. Os mais profundos sentimentos à família e amigos. O Município informa, ainda, que está mobilizado no atendimento aos registros de destelhamento, quedas de galhos, árvores e outros prejuízos materiais ocorridos em função da chuva e vento fortes. A Defesa Civil de SC registrou ventos de até 108 km/h em Chapecó. Até o momento, não há informações de família desalojada ou desabrigada.

IMAGEM DE ARQUIVO: Destruição provocada por ciclone bomba em Chapecó, Santa Catarina. 01/07/2020 (Prefeitura de Chapecó/Divulgação)

A formação de um forte ciclone extratropical na fronteira entre a Argentina, o Uruguai e o Rio Grande do Sul traz ventanias e temporais para o Sul do Brasil, podendo haver risco de rajadas de vento em torno de 80 km/h a 100 km/h no sul do Rio Grande do Sul, atingindo locais como Chuí, Santa Vitória do Palmar, Rio Grande e Pelotas.

De acordo com informações da Climatempo, no começo da noite desta quarta-feira, 2, o sistema já deve estar completamente organizado. Nas demais áreas do Sul do Brasil, as rajadas de vento na madrugada e manhã da quinta, 3, poderão alcançar velocidades entre 50 km/h e 70 km/h. O fenômeno é causado pela influência de áreas alongadas de baixa pressão e pela formação de uma frente fria na região.

A Defesa Civil de Santa Catarina, Estado que sofreu com tornados em julho, já emitiu alertas para a chance de temporais isolados em quase toda a região catarinense na quinta-feira, 3. No litoral e na região oeste, há chances de rajadas de ventos fortes e eventual queda de granizo. Para essas localidades, o órgão recomenda que a população busque um local abrigado, longe de árvores, placas, postes de energia e de outros objetos que possam ser arremessados.

Veja também

A previsão é de que as rajadas de vento enfraqueçam no decorrer da tarde de quinta-feira com o afastamento do ciclone. Esse sistema não terá influência no Sudeste nem no Centro-Oeste do Brasil.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here