Rolex Submariner

Rolex Submariner: caixa um pouco maior e novas combinações de cores (Rolex/Divulgação)

Era o lançamento da alta relojoaria mais aguardado do ano. Com a pandemia do coronavírus, as apresentações dos novos modelos foram acontecendo virtualmente, tanto em salões como o Watches & Wonders e o Geneva Watch Day como eventos das próprias marcas. Faltava a de uma grande manufatura, talvez a mais representativa, sinônimo de relógio de luxo: a Rolex.

Faltava. A marca suíça apresentou globalmente hoje, terça-feira 1 de setembro, as novidades do ano. Virtualmente, é claro, por videoconferência. E o grande destaque foi o novo Submariner, voltado inicialmente para mergulho, uma das linhas mais clássicas e conhecidas da Rolex. Também receberam novas versões modelos de outras três famílias: Datejust 31, Oyster Perpetual e Sky-Dweller.

Se existe uma vantagem na demora da apresentação, que passou de abril para setembro, é que os novos relógios estarão no mercado brasileiro dentro de no máximo dez dias. É quase o conceito da moda do see now, buy now, agora no universo dos calibres mecânicos.

Rolex Submariner Novo Rolex Submariner: cor azul do mostrador chega como novidade

Novo Rolex Submariner: cor azul do mostrador chega como novidade (Rolex/Divulgação)

Evolução, e não revolução

A Rolex foi mais uma vez fiel à sua máxima: a de apresentar evolução, não revolução. Os novos modelos vêm com pequenos ajustes, em busca sempre de melhorias. Além da mudança de mecanismo, foram feitas pequenas evoluções em termos de design, que trazem mais harmonia entre a pulseira e caixa.

Veja também

Pensando em termos de evolução e não de revolução, podemos dizer que a marca ousou nas cores do Submariner. O clássico modelo de mergulho ressuscitou em uma das versões a luneta verde de 2010, que havia sido descontinuada. O mostrador azul é uma novidade, já presente no GMT.

A Rolex apresentou por aqui oito modelos novos dentro da linha Submariner, um da versão sem data e sete com data. Entre os com data, há três versões em ouro. Relógios para mergulho profissional por excelência, as duas linhas do Submariner, o Oyster Perpetual Submariner e o Oyster Perpetual Submariner Date apresentam um design renovado, com uma caixa ligeiramente aumentada para 41 mm de diâmetro. A diferença é mínima em relação à versão anterior, de apenas 1 mm. Mas em se tratando de um clássico, pode ser representativo.

Os dois modelos são equipados com mecanismos na vanguarda da tecnologia relojoeira, respectivamente o calibre 3230, apresentado pela marca este ano, e o calibre 3235 — que além da hora dispõe da função de data —, introduzido na linha Submariner pela primeira vez.

Rolex Submariner Nova versão: luneta verde está de volta

Nova versão: luneta verde está de volta (Rolex/Divulgação)

Fiel à estética histórica do modelo, o novo Submariner, em aço Oystersteel, possui um mostrador e uma luneta giratória com disco Cerachrom pretos. Uma modalidade em versão Rolesor amarelo (combinação de aço Oystersteel e ouro amarelo 18 quilates) do Submariner Date, por sua vez, combina um mostrador azul real e uma luneta giratória com disco Cerachrom azul. Duas modalidades do Submariner Date, uma em aço Oystersteel, outra em ouro branco 18 quilates, apresentam uma configuração estética especial: o mostrador e a luneta giratória com disco Cerachrom recebem cores diferentes. A primeira combina um mostrador preto com uma luneta verde; a segunda, um mostrador preto com uma luneta azul.

A relação com o mar

A criação do Submariner está ligada à expansão do mergulho. No início dos anos 1940, a exploração das profundezas conheceu uma virada significativa devido ao surgimento do escafandro autônomo. A Rolex então colaborou com o desenvolvimento e fabricação de relógios de pulso cronômetros impermeáveis, particularmente graças à caixa Oyster, patenteada em 1926.

Os experimentos e os desenvolvimentos técnicos levaram, em 1953, ao lançamento do Submariner, o primeiro relógio de pulso para mergulho impermeável até 100 metros de profundidade até então. Um ano depois, o relógio já recebeu proteção impermeável a até 200 metros de profundidade.

Outras inovações técnicas vieram, como a adição de uma pastilha luminescente sobre o ponteiro das horas, para fazer distinção do ponteiro dos minutos, e de protetores da coroa. Em 1969, a Rolex lançou um modelo com a função de data: o Submariner Date. A impermeabilidade, então de 200 metros de profundidade, foi ampliada em 1979, passando para 300 metros.

Com os anos, o Submariner e o Submariner Date deixaram de ser vistos como relógios funcionais para mergulho viraram sinônimo de modelo esportivo, mas também de uso urbano.

Rolex Submariner Versão luxo: em ouro branco, com mostrador preto e luneta azul

Versão luxo: em ouro branco, com mostrador preto e luneta azul (Rolex/Divulgação)

A legibilidade, qualidade essencial de um relógio de mergulho, sempre foi uma preocupação da marca. O mostrador do Submariner e do Submariner Date apresenta um design simples e limpo. Os ponteiros das horas e dos minutos são bem diferenciados por seu tamanho e forma, assim como os indicadores com formas geométricas básicas — triângulo, círculo e retângulo.

O Submariner e o Submariner Date dispõem da exibição Chromalight, um material luminescente de longa duração que emite um brilho azul quando o relógio está em um ambiente escuro, sobre os ponteiros e os indicadores. Sobre a luneta, o zero da graduação, indicado por um triângulo, também fica visível no escuro graças a uma saliência com o mesmo material luminescente.

Os novos motores

O Submariner e o Submariner Date de nova geração são equipados respectivamente com o calibre 3230 — apresentado este ano — e o calibre 3235, mecanismos inteiramente desenvolvidos e manufaturados pela Rolex. Ambos oferecem vantagens em matéria de precisão, autonomia, resistência a impactos e a campos magnéticos, confiabilidade e conforto durante o uso. Graças ao escape Chronergy, patenteado pela Rolex, à espiral Parachrom azul, produzida pela marca com uma liga paramagnética exclusiva que a torna até dez vezes mais precisa do que uma espiral tradicional em caso de choques, e o rotor Perpetual, ambos mecanismos apresentam reserva de corda de aproximadamente 70 horas. Pulseiras e fechos

As modalidades apresentadas do Submariner e do Submariner Date vêm com uma pulseira Oyster. Desenvolvida no final dos anos 1930, apresenta três fileiras, que se distinguem por sua robustez. Vem com um fecho de segurança Oysterlock desdobrável, concebido e patenteado pela Rolex, para prevenir qualquer abertura involuntária, e sistema de extensão Rolex Glidelock.

O Rolex Glidelock, na pulseira Oyster, possui dez estágios de aproximadamente 2 mm cada um. Isso permite ajustar o comprimento da pulseira facilmente e sem nenhuma ferramenta em cerca de 20 mm. Já a pulseira Oyster da modalidade em ouro branco 18 quilates do Submariner Date contem, no interior de seus elos, inserções em cerâmica que aumentam sua fluidez durante o uso e sua longevidade.

E sobre a informação que todos estavam esperando, o preço… O Submariner de entrada, sem o mostrador de data, sai por 52.800 reais. O Submariner Date com mostrador preto chega por 59.700 reais, o com a luneta verde custa 62.100, e a versão de aço com ouro amarelo, em mostrador azul ou preto, 93.000. As três versões em ouro têm preço sob consulta.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here