imagem29-08-2020-17-08-13

 

Nove duplas estão distribuídas pelo território do DF

 

JOSIANE CANTERLE, DA AGÊNCIA SAÚDE DF

 

Chegar rápido até os pacientes que necessitam de atendimento nem sempre é fácil para veículos do tamanho de uma ambulância, ainda mais nos horários de pico no trânsito do Distrito Federal. Para agilizar os atendimentos, desde 2009 o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Distrito Federal conta com a agilidade das motocicletas para dar início nesses chamados de socorro. Atualmente são 20 motolâncias utilizadas por enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam em duplas, orientados pelos médicos de plantão do 192.

 

imagem29-08-2020-17-08-14

A cada novo chamado, os socorristas do Samu preparam-se para mais um atendimento de urgência no DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

Antônio Carlos Pereira Nunes é técnico de enfermagem e desde 2010 atua nas motos. Como profissional, ele ressalta a agilidade das motos para os salvamentos. “O que mais me fascina nas motos, do que mais gosto é a diferença no deslocamento, a agilidade em diminuir nosso tempo de resposta, chegar até nosso paciente no menor tempo possível, dessa forma iniciar o atendimento, diminuindo o sofrimento da vítima e até mesmo evitando maiores sequelas”.

 

A fim de aprimorar esses atendimentos, o Samu promove treinamentos contínuos e mantém as equipes sempre preparadas para atender desde um corte simples ou um desmaio até uma ocorrência de grande gravidade, como uma parada cardiorrespiratória, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, queimaduras e outras situações.

 

imagem29-08-2020-17-08-16

Os socorristas saem em duplas a fim de chegar mais rápido para atender as ocorrências – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Atuação no DF

 

Para cada socorro, são acionadas duas motos com um enfermeiro e um técnico de enfermagem ou dois técnicos. A todo momento esses profissionais recebem orientação dos médicos na central 192 até a chegada da ambulância para remoção, quando necessário. Ao todo são nove duplas que ficam localizadas nas regiões administravas do Gama, Ceilândia, Guará, Recanto das Emas, Santa Maria, Taguatinga, Sobradinho, Samambaia e no Plano Piloto.

 

imagem29-08-2020-17-08-18

A agilidade ao driblar engarrafamentos e chegar mais rápido nas ocorrências marcam o trabalho nas motolâncias – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

No ano de 2019, as equipes das motos realizaram 3.630 socorros, sendo que só a dupla do Plano Piloto realizou 859 atendimentos. Os dados deste ano ainda não foram compilados devido a outras demandas geradas pela pandemia.

 

imagem29-08-2020-17-08-19

O Samu-DF fez 15 anos de atividades em todo o Distrito Federal – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

“Uma vítima de um agravo grande que precisa de uma intervenção muito rápido, e se o agravo acontecer por volta de 8, 9 horas da manhã, vai pegar um congestionamento muito grande, então uma viatura vai ter muita dificuldade de se deslocar. Então, mandamos a motolância na frente”, justifica o diretor do SAMU DF, Alexandre Garcia.

 

SÉRIE ESPECIAL SOBRE O SAMU-DF:

REPORTAGEM: LEANDRO CIPRIANO, JOSIANE CANTERLE E BRENO ESAKI

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here