Pandemia incentiva o movimento de amor e solidariedade

 

ÉRIKA BRAGANÇA, DA AGÊNCIA SAÚDE DF

 

Centenas de servidores e voluntários contribuem diariamente, de maneira especial, com o seu tempo e dedicação para suprir as necessidades dos públicos da Secretaria de Saúde. São várias horas de produção de máscaras, Face Shield, capotes, dispenser caseiro de álcool em gel, suporte para ajuste da máscara, milhares de luvas recebidas, trabalho profissional e ainda a organização para o recebimento de cestas básicas para as comunidades carentes ao redor de unidades básicas de saúde e serviços da rede pública de saúde.

 

Arte: Érick Alves

Assim como na educação, várias atividades já foram adaptadas para que as pessoas tivessem acesso ao serviço de maneira segura, como a Terapia Comunitária Integrativa em Saúde que conta com voluntários para fazer lives presenciais para professores da rede pública de ensino e comunidade. Tudo para continuar ajudando na saúde mental da população atingida pelas mudanças bruscas que este momento de pandemia trouxe.

 

Essa é a rede do bem que tem marcado o serviço voluntário na Saúde e no Dia Nacional do Voluntariado. A Secretaria de Saúde lembra, ainda, que todos podem fazer parte dessa rede. Assim como várias iniciativas surgiram, as pessoas acima de 16 anos podem participar com o voluntário social e profissional em qualquer unidade de saúde.

 

Os voluntários sociais ajudam em demandas que estão diretamente ligadas ao interesse pessoal que traga bem estar social, pode ser um corte de cabelo, um contador de história ou até mesmo um músico oferecendo a sua arte de tocar ou cantar. Já o profissional, atua com a sua formação para ajudar setores da instituição que vão desde serviços de tecnologia da informação até a área médica. Para participar, basta dar voz ao que se tem de melhor e ativar o espírito cívico.

 

Doação

 

Marcilene Frazão, gerente de Voluntariado, destaca o amor como a principal ferramenta dessa corrente de solidariedade. Para ela, o ato de se voluntariar na saúde, nesse momento tão crítico, é de doação extrema em que profissionais têm se colocado na linha de frente para atender o próximo. A profissional acredita que após a pandemia, a voluntariado terá um amadurecimento nunca visto na história do DF.

 

“Não há outra palavra para definir uma pessoa que vem para trabalhar voluntariamente num momento tão delicado da nossa história na saúde. É um ato de amor e anulação de si mesmo em nome de uma causa maior que a sua própria vida. Isso não tem preço e nem se paga. Assim como tem aqueles que não estão

presencialmente, mas estão em suas casas costurando máscaras, arrecadando alimentos entre outras tantas coisas para ajudar o próximo. Está sendo lindo ver esse movimento criar força e, acredito que, certamente, não seremos mais os mesmos depois disso”, comemora.

 

No programa de Voluntariado da Secretaria de Saúde, atualmente, são 421 voluntários profissionais e diversas associações que também atuam no voluntariado social. Pelo sucesso na execução, o modelo do DF serviu como inspiração para o Ministério da Economia. O objetivo foi o de replicar o modelo no âmbito federal.

 

Como participar?

A partir dos 16 anos, o cadastramento pode ser feito no site Portal do Voluntariado. Ao entrar, o interessado deve procurar, na página principal, a aba: “Projetos e Ações do Governo”. No espaço, deve pesquisar os projetos e ações desenvolvidos por título, por eixos, por público e por local. Em seguida, procurar os projetos desenvolvidos pela Secretaria de Saúde e, caso preencha os requisitos, clicar na função “Candidate-se”. Após essas etapas, basta aguardar o contato dos coordenadores com as informações sobre a participação do candidato.

 

Além dessa opção, o candidato também pode buscar a unidade de seu interesse presencialmente ou por telefone. Todas as unidades estão aptas a receber voluntários. Os voluntários cumprem a carga horária acordada e recebem uma certificação sobre o serviço prestado. Futuramente, podem utilizar, inclusive, para concursos ou processos seletivos, que preveem esse tipo pontuação.

 

Quem pode ser voluntário na Saúde?

Para ser voluntário na Rede Pública de Saúde do Distrito Federal é preciso ter mais de 16 anos, tempo disponível e vontade de ajudar. Podem ser pessoas comuns, servidores inativos e integrantes de organizações sociais. Pessoas com formação específica podem atuar como voluntários profissionais. Servidores da Secretaria só podem participar do programa como voluntários sociais.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here